Novo modelo de biotijolo está em desenvolvimento

Novo modelo de biotijolo está em desenvolvimento

Estudantes da África do Sul, do curso de Engenharia Civil da Universidade da Cidade do Cabo, Dyllon Randall (supervisor dos estudantes), Vukheta Mukhari e Suzanne Lambert (mestranda responsável), foram responsáveis por criar um mais novo modelo de biotijolo, esse que é feito a partir de urina, areia e bactérias é solidificado em temperatura ambiente, assim como a solidificação dos corais. Divido em dois, esse processo primeiro usa do liquido para produzir fertilizantes sólidos, e do restante se faz o biotijolo que necessita entre 25 e 30 litros de urina para ser produzido. O processo é feito da seguinte maneira:



1. São coletada amostras (nessa pesquisa, as amostras foram coletadas nos banheiros masculinos do campus da Universidade de Cabo, na África) ;

2. O liquido passa pelo Processo de Precipitação de Carbonato Microbiano, que consiste em fazer com que as bactérias produzam a enzima que separa ureia da urina, e se forme o carbonato de cálcio, que faz com que a areia se solidifique, formando tijolos cinzas tão duros quanto rochas (processo de 4-6 dias). Não é necessário aquecimento, como no tijolo convencional;

3. O cheiro característico da amônia desaparece em cerca de 48 horas, e não há resquícios de patógenos, já que a etapa se passa em um pH elevado;

4. A rigidez do tijolo pode ser controlada com a quantidade de calcário que se quer na mistura.

Dyllon Randall, Vukheta Mukhari e Suzanne Lambert

Dyllon Randall, Vukheta Mukhari e Suzanne Lambert

 

FONTE: civilizacaoengenheira.wordpress.com