Mito ou verdade? Veja 4 curiosidades sobre as estruturas metálicas

Mito ou verdade? Veja 4 curiosidades sobre as estruturas metálicas

Cada vez mais presente em projetos comerciais, industriais, pontes e estádios de futebol, a estrutura metálica ainda desperta dúvidas no meio da construção civil. Embora muitas de suas vantagens já sejam conhecidas – como ser um sistema construtivo mais rápido e com menor necessidade de mão de obra –, ainda se comenta muito sobre suas dificuldades de aplicação ou riscos de corrosão – mas a maioria dos relatos costuma ser infundado.

A seguir, apontamos o que é mito e o que é verdade envolvendo essa tecnologia construtiva que, tudo indica, veio para ficar.

Qualquer projeto pode ser concebido com estrutura metálica.

Verdade. Com o dimensionamento correto para cada situação, todas as obras podem utilizar essa solução, como grandes edifícios, pontes, coberturas de estádios e ginásios poliesportivos. Porém, atualmente, as estruturas metálicas estão atendendo, majoritariamente, obras industriais e comercias. “Ainda temos o desafio na área residencial, na qual o fluxo de construção é um pouco diferente de outros setores”, ressalta Humberto Napoli Bellei, especialista da Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais e professor titular do Centro Universitário de Belo Horizonte.

O custo total da obra fica mais caro com estrutura metálica.

Mito. O investimento inicial realmente é mais alto quando comparado ao de outras estruturas. Entretanto, ao analisar todo o contexto, o custo-benefício acaba compensando. “Muitos outros fatores precisam entrar nessa conta, como a velocidade de execução e finalização da estrutura; consequente antecipação de receitas no caso de empreendimentos comerciais e industriais; redução de custos fixos; equipe de colaboradores mais enxuta e qualificada, o que implica em montante menor de acertos trabalhistas; menor quantidade de juros a serem pagos nos casos em que é necessário algum tipo de financiamento para a construção, entre outros”, afirma Gregório Sandro Vieira, professor do magistério superior da Universidade Federal de Uberlândia e pesquisador da Universidade de Brasília.

A mão de obra é menor, mas custa mais.

Verdade. Assim como em qualquer setor, quanto mais qualificado o profissional, maior será o custo dele. Todavia, como já citado, isso não significa que a obra fique mais cara, pois entram em consideração fatores como a velocidade da obra, a redução do desperdício de material, entre outros. “O profissional qualificado produz mais, mais rápido, com maior precisão e com menor desperdício de material. Uma análise desse conjunto de fatores poderia deixar de maneira mais evidente as vantagens de se trabalhar com pessoal mais qualificado”, reforça Gregório.

O conforto termoacústico é menor nas estruturas metálicas.

Mito. A estrutura metálica pouco importa no isolamento térmico e acústico. “Aqui se faz necessário um bom projeto dos complementares visando o atendimento das normas de desempenho”, pondera Humberto. O conforto termoacústico está relacionado aos sistemas de fechamento da estrutura. “Utilizando-se materiais adequados nos fechamentos laterais, fechamentos internos e coberturas, o usuário da edificação não tem desconforto em relação à temperatura ou propagação de sons e ruídos”, explica Gregório.

FONTE: aecweb.com.br